Categoria: Papo de Vitrola

Um probleminha e tals

Eu tô matando meu blog, e isso tá me matando.

Ok, nem queria começar assim. Mas é isso.

Queria falar com vocês também que tô com um probleminha. Bem, “inha” estou sendo sutil, isso tá transformando minha vida num imenso transtorno. Um baita problemão.

Eu ando esquecendo de TUDO. TUDO. Eu não consigo estudar (fui péssima na prova, esquecia as palavras, ficava nervosa e não conseguia escrever na prova discursiva), eu esqueço atalhos simples que sempre usei nos programas, eu acho que avisei coisas pras pessoas que não avisei, eu esqueço nomes, palavras, lugares, caminhos, compromissos, horários… tudo.

Tudo sai da minha mente sem nenhuma cerimônia nem aviso, me transformando de pessoa confiante e no controle de minhas situações a ameba, sabe?

Me sinto mal, com vergonha, inútil, burra. Tem doído pra caramba.

Anotar, escrever, gravar vai precisar fazer mais parte da minha vida do que pensei. Não tenho feito muito isso por aqui, me forçar e lembrar a semana, sabe? Pensei em andar com um caderninho de apoio, pra eu não me perder, e criar o hábito de tentar consultá-lo.

Enfim, é isso.

Queria dizer também que me identifiquei muito com esse vídeo da Carlinha, só que pior, rs.

Ah! A Mari e o Léo são nossos novos conhecidos aqui em Ubatuba, e eles abriram uma loja de cerveja aqui, a Brewcicleta. Quem for vir pra Ubatuba, vem visitar. Aí ela  me mostrou o trabalho desse moço, fui fuçar os trampos dele e vi esse post no blog dele. Acho que é o tipo de coisa que farei (me lembrei daquele meu post, Porque você deve postar menos no Facebook – e mais no seu blog. Recado da Vitrola do passado pra Vitrola do presente, olhem só…)

 

15095457_1218969141459511_8557172140973198426_n

 

Ah! upei um vídeo novo lá no canal, já viu? Clica aqui.

Agora é só isso mesmo.

Lojinhas para visitar antes do Natal :)

Dá pra acreditar que já estamos praticamente na reta final do ano, e já tem panetone a rodo pra vender nos supermercados? As poucas luzinhas piscantes nas lojas de decoração não nos deixa esquecer que logo mais tá na hora de botar pra rodar (ou quebrar) o cantarolar clássico “Então é Natal…“.

Sei que esse clima não é nada fácil$$, apesar de conter muitas das minhas guloseimas favoritas. Por isso mesmo, fiz uma seleção de ♥ coração ♥ pra quem está querendo presentear com algo bem carinhoso e que, independente de você considerar ou não essa época a mais legal do ano, seu presenteado (ou, você mesmo!) vai curtir pra caramba essas opções.

Todas as lojas e vendedores listados abaixo são de amigos do Facebook, gente que admiro o trabalho, que sei que faz com maior carinho e dedicação. Pode ir sem medo, tá?

 

 

donnarita2

Donna Rita Ateliê

Caderno Harry Potter Carinhas diversas – aqui
Kit de journals – aqui

 

neo-hippie

Neo Hippie Acessórios

Bracelete Ani Felicitações – aqui
Colar Maya – aqui
Pulseira Psicóloga – aqui

 

ana-albino2

Ana Maria Albino

Encomendas através do perfil do Facebook

loja-vera2

Loja do Blog – Vera Moraes

Encomendas através do site

gatofu

Gato Fu

Chaveiro Vulva – aqui
Útero porta-copinho – aqui
Gatinho signos – aqui

alpaka

Alpaka

Vestido este é meu Mundo – aqui
Silhuestrelas – aqui
Pijaminha Raios e Vassouras – aqui

Por hoje é só! 🙂

Eu só vim falar sobre a Val

Antes de qualquer coisa, essa postagem não tem nenhum fundo moral ou de “lacre”. Eu só vim falar sobre a Val.

 

Conheci a Val quando eu tinha 14/15 anos. Ela sabia que eu amava ler e estudar, então sempre me dava algum livro.

A Val usava o cabelo curtinho e fazia relaxamento. Ela me pedia pra ajudar a passar o relaxante nos cabelos dela. Eu odiava o cheiro daquilo. Mas amava pentear os cabelos da Val. Os cachinhos dela faziam um movimento bonitinho no pente, eu adorava ver aquilo, enquanto conversávamos e ríamos.

A Val usava uma calça vermelha. Era sua calça favorita, eu nunca havia visto alguém antes ficar tão bem em uma calça vermelha. Até hoje acho que a cor vermelha deve ter sido inventada pensando especialmente em algumas pessoas, e uma delas, era a Val.

Quando a Val sorria – sei que parece piegas dizer isso –  mas o dia parecia ter todas as cores. Me fazia lembrar de dia de sol na primavera, pós chuva, pela manhã, com passarinhos cantando e cheiro de bolo saindo do forno, sabe? O sorriso da Val cabia num dia assim. Me dava vontade de sorrir também, mesmo sem saber o motivo dela estar sorrindo. E ela sorria. Cantava. Dançava. O tempo todo.

A Val tinha uma voz “rouquinha”. E os olhos puxadinhos. E um bocão lindo, que ficava ainda mais lindo quando ela usava batom vermelho.

Eu nunca conheci ninguém mais fã de Shakira como a Val. Colocávamos os CD’s dela da Shakira na bandeja “5 players” e ouvíamos o dia inteiro.

 

Eu sinto muita falta da Val. Eu me culpo pelo silêncio que entrei após sua partida. Na época, eu não entendi nada do que falaram. Eu me perguntava o motivo de não ter visto que no sorriso da Val tinha uma dor profunda, o ponto de uma decisão tão séria, tão impactante. Neste #setembroamarelo, em todas as postagens eu vejo um pouco da Val. E ainda me dói  lembrar que não posso pegar o telefone e ligar pra ela…

Eu sinto a sua falta, Val. Eu sempre vou sentir.

 

val2