Collab Vah Andrade: Os Peixes

Collab – Os Peixes, por Vah Andrade e Re Vitrola

Fazia muito tempo que queria fazer um trabalho colaborativo com alguém, planejei no início do ano com minha amiga talentosa e jornalista Vah Andrade nem de longe eu fazia ideia que seria tão fantástico!

Um collab parece algo simples, mas não é só isso: é magnífico! Para vocês terem ideia, quando a Vah e eu concordamos em fazer, não foi estabelecido nenhum texto nem ilustração pois foi tudo muito rápido, logo, o texto dela foi surpresa para mim assim como a ilustra foi surpresa para ela.

O resultado é esse que vocês estão vendo, que eu AMEI.

Para a composição, utilizei:

  • Papel craft – meu vício por papel com cores terrosas
  • Tombow preta n15
  • Posca branca 07mm
  • Cis Ultrafine ECO
  • impressora para o texto

Expectativas são como peixes que eu alimento com uma ração chamada “amorzinho”. A “amorzinho” contém gramas de alegria, otimismo cego, egoísmo disfarçado de justiça e tudo que poderia nutrir os meus peixes.

Todos os dias eu alimento-os um pouco, chego a perceber que estão muito grandes, mas ignoro e compro um aquário maior. Mesmo com medo dos meus peixes crescerem demais, continuo seguindo a vida com muito orgulho do que eu fiz por eles, porque amo o que eu criei e não o que realmente eles são.

 Certo dia percebi que os meus peixes estavam enormes, maiores do que eu e que a “amorzinho” não os alimentava mais. Tive que jogá-los no mar. Fiquei triste, pois eu nunca mais veria meus peixes da mesma forma outra vez, porém, já crio outros e espero que não cresçam tanto.

Estamos muito ansiosas para saber o que vocês acharam. Deixe sua opinião aí nos comentários ou nas nossas redes e nos motive a fazer mais! ♥

Vah AndradeTwitter / Instagram

Re VitrolaTwitter / Instagram

Como eu telei minha casa para as gatas

(SIIIM isso é um post no blog) o/

Tanta coisa aconteceu, mas vou começar pela mediana no quesito data.

Sempre me preocupei com a segurança das gatinhas, e por já ter perdido a Tapioca de forma muito violenta e dramática, nunca mais consegui agir da mesma forma quanto a deixá-las soltas.

Quando me mudei para a Casa Maré – casa que moro atualmente – me deparei com a questão de telar o espaço, pois afinal, se tratava de uma CASA e não de um apartamento, e ainda em área central. Muito mais área para telar e isso incluiria um gasto bem maior também.

Muitos orçamentos depois, fechei com um prestador de serviços que cobrou R$700 de mão de obra, e eu teria que comprar o material. Peguei parte do meu fundo de garantia e fui feliz e saltitante comprar o material necessário.

A tela utilizada foi aquelas de galinheiro, porém, encontrei uma mais “grossinha”. Para as molduras, aquelas madeirinhas simples mesmo, só para a moldura da porta que foi uma melhorzinha. Quanto à durabilidade, não é para sempre, acredito que uma hora ela irá enferrujar (morar no litoral e alguns metros da praia tem suas inúmeras desvantagem também), mas até lá, as gatinhas permanecerão em segurança.

Ficou tanto, mas tanto espaço que as brigas até diminuíram por aqui!

Como uma das áreas era de passagem nossa, pedi pra ele colocar uma portinha. O legal também é que o moço também tinha gatos, então soube direitinho fazer um cerco bem cercado, pra nenhuma gatinha fugir.

Bem, é isso! Sempre importante frisar que a segurança do seu pet é importante. E sim, é possível telar CASAS, basta um pouco de planejamento (e claro, um dinheirinho pois realmente não sai muito barato por mais que se economize).

 

É isso! Espero que tenham gostado e se inspirado 🙂

Compartilhem este post para que mais gatinhos se mantenham em segurança ♥

 

o que é que dá liga?

Desde que me tornei vegana, uma das perguntas que mais ouço é: “tá, mas aê o que é que dá a liga?”

É fato, você aprende a cozinhar com determinados ingredientes toda uma vida e se depara com questões assim. Oras, como é que dá a liga?

No bolinho de arroz eu sei. Mas cá fiquei pensando o que é que liga e des-liga nas relações. Aquela liga invisível e mermão, mutável. Toda mutável. 

Não sei se é cheiro que dá liga, se é pelo, se é pele, se é ideia. 

Liga de lealdade, de pensar junto, de ter empatia. 

Mas tem liga que desliga. E tem aquela que liga e re-liga, dá uma liga perfeita pra bolinho nenhum botar defeito. Que doideira, né? 

 

ps: põe farinha de arroz no bolinho de arroz. voilá: liga.