Filosofia de Gaveta

Gente: sentem que lá vem  a história.
 

Dias atrás eu tive uma noite difícil. Eu sentei e fiz uma coisa que não fazia há MUITO tempo: chorar.

Depois de desabafar com pessoas queridas, acabei optando por mandar o momento embora. Xô. A situação não mudou e está bem longe de mudar, mas por alguns momentos, tirei ela de mim e a deixei lá, sentada numa cadeira para ver a banda passar.

 

Neste mesmo dia, eu finalizei uma gaveta que estava abandonada aqui em casa. Fazia tempo que eu havia retirado do móvel que ela pertencia, decidi num momento “vamos sacudir o esqueleto” dar um trato nela. Lixei, pintei de um lindo e vivo amarelo, coloquei a corrediça que havia caído, troquei o puxador: antes, um velho de plástico, agora, uma linda rosa na cor branca. Forrei o interior com um contact preto e eis uma nova e linda gaveta. Fiz o serviço completo, com muito carinho e dedicação. Investi meu tempo e carinho neste serviço.

 

Quando fui finalmente colocá-la em seu lugar, a gaveta não entrou. Tentei aqui e ali, marido também tentou ajudar, até que percebi que a gaveta por algum motivo não cabia mais ali. Juro que tentei de todas as formas possíveis encaixá-la. Como isso é possível? A gaveta decidiu do dia para a noite crescer e não caber mais aonde deveria.

 

Parece filosofia de boteco (e pode ser, eu adoro uma conversa de boteco, vai!), mas eu me identifiquei com essa gaveta. Horas antes, eu me questionava do motivo de eu fazer tanto e perceber que nem sempre a situação vai mudar só porque você mudou. Eu não ganhei “um dia de princesa” como essa gaveta, mas por algum motivo esperei que as coisas mudassem após tantas reviravoltas pessoais. Mas se o outro lado continua estagnado, a mudança só fará sentido para você. Dá para encaixar o novo no velho? Não sei, pode ser. Mas aqui, não deu.

 

Bem, eu ainda não sei o que fazer com a gaveta. Mas eu olho para ela com orgulho do que fiz, independentemente dela agora fazer parte do móvel ou não. Fiquei pensando: e se ela ganhasse uma nova função? Alguma sugestão para esta rebeldia?

 

 

Antes: A gaveta já havia sido lixada e estava com uma camada de tinta PVA branca. Apliquei cerca de 6 demãos de tinta amarela (fosca) com ajuda de um rolinho pequeno de espuma, entre os intervalos de secagem. Nos cantinhos, apliquei a tinta com pincel mesmo. Coloquei contact preto fosco no fundo e comprei um novo puxador (esse custou 1 real aqui na minha cidade. Não é uma maravilha?).
 

 

 



23 thoughts on “Filosofia de Gaveta”

  • haha eu simplesmente amei essa gaveta amarela ficou muito linda, eu tenho uma mesinha lá em casa e vou pintar dessa cor, tava eu procurando uma cor legal, só que eu estava sem inspiração e essa me serviu de muita inspiração.
    E quanto a sua teoria de boteco….
    Realmente mudanças nunca vão fazer sentido pra outra parte se ela continuar achando que está tudo bem, as coisas só mudam se a mudança vier de ambas as partes…. Mas eu me pego, então o ditado que quando um não quer dois não brigam, talvez seja um pouco tanto, incoerente…

  • Eu acho que a gaveta não entrou no móvel pq você deu 6 demãos de tinta e ela engrossou o suficiente para não entrar mais.
    Se você quiser realmente colocar a gaveta de volta, acho que lixar as laterais pode resolver o problema.
    Já se for dar uma nova função, é muito comum transformá-las em prateleiras. Eu mesma estou com 3 para colocar na parede da varanda.
    Mas a ideia de alguém aqui que falou para usar como porta treco é bem interessante também.
    Beijos.

  • Key, eu te entendo! Quantas vezes na vida só fui perceber que quem mudou fui eu quando eu percebiq ue não me encaixava mais naquele lugar, naquela situação, naquela pessoa…
    Mas, né, funções novas na vida sempre existem! E que a sua gaveta seja a melhro gaveta-não-gaveta do mundo, peerfeitamente encaixada no papel novo, todinho só dela ^^
    Beijão!

  • Desculpe acabar com o cunho filosófico do post, mas será que a gaveta não entrou justamente por vc ter trocado a corrediça ou ter posicionado no lugar/jeito errado?? Acho bem difícil o material ter “inflado” um pouquinho com a tinta, mas sei lá, vai que acontece também né.
    Mudanças são ótimas e sempre válidas, mas às vezes falta um pequeno detalhe para tudo se encaixar de novo!
    Boa sorte (com a gaveta e com a vida!)
    beijos

    • Então Bianca, pela tinta também acho que não foi não. Ela ficou muito tempo parada e aqui em Ubatuba é mega úmido. Eu percebi que o material dela “inchou” um pouco, sabe? Dá pra perceber as fibras do material mais espaçadas. Ou seja, entrar ela não entra mais, só mandando fazer outra mesmo 🙁
      Um beijo, e obrigada!

  • Re queridaaaaa, eu amo estes seus posts artístico filosóficos, porque eu também amo uma conversa de boteco! rs
    Ameiiiiiiiiii a gaveta, e acredito que sim, assim como as coisas da vida, ela pode ter uma nova função.
    Pensei que você poderia colocar uns ganchinhos, pendurar na parede, e usar como porta bijoux!
    Te adoro, garota! Fique bem! Pode ter certeza que , quando acontece uma coisa, ou quando ela não acontece, é um sinal para deixarmos o novo entrar. Que seja um novo modo de ver, uma nova filosofia, e que seja sempre com amor!
    Beijossssssssss
    Vero

  • A gaveta ficou uma fogura só!

    Mulher Vitrola, eu dia desses reaproveitei um banquinho velho de madeira que iria para o lixo. Lixei e fiz colagem nele todinho com revista, depois passei uma espécie de verniz e o aproveitei como uma estantezinha para meus livros lúdicos. Ficou lindo! Agora encomendei umas tábuas para fazer prateleiras com colagens com mangá e HQ’s. Te mostrarei meu banquinho depois. Parabéns pelos trabalhos! Seu blog está cada vez mais bonito e cheio de novidades boas. Um abraço.

  • e aqui em casa que a JANELA não entra mais!?
    É daquelas janelas de abrir, tipo de banheiro. Só sei que depois da reforma da cozinha a bendita nunca mais fechou. Ainda bem que tem grade, mas mesmo assim dá raiva ¬¬”
    Faz a gaveta de porta-trecos

  • Espero que você esteja bem melhor!!!! Babo na sua destreza manual e acho que deveria fazer a gaveta virar moldura. Corte uma das laterais da parte frontal e pendure-a na parede!! Dentro dela fotos, gravuras, postais presas por taxinhas ou fitas coloridas…sei lá…foi a única coisa que veio na cabeça!! ;o)

  • Se fosse aqui em casa, daria a gaveta pra Lola, a filha felina. Ela adora dormir em gavetas, entra em todas que consegue.

    Até que minhas roupas começaram a ficar cheias de pelos, rs. Aí dei um jeito e cobri a entradinha dela, agora ela anda tristonha, tadinha :/

    Btw, a gaveta ficou lin-da! Adoro amarelo <3

    • Pois é, Mara. Acredito que muitas pessoas tenham passado por algo parecido. E eu espero que você fique bem também, viu? Sobre aideia, tô achando que vou optar por algo assim. Acho que vai ficar legal (quanta coisa linda, né?)!
      Obrigada e um beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *