teatrinho.

As cortinhas se abrem. A luz vem, você é o centro das atenções. Respira, é hora. O corpo falando, gritando. Deixa escapar um erro ou outro, ruboriza, olhos queimam, ensaia correr pra qualquer lado. Respira. Pensa num arco-íris, numa moita, pensa em qualquer coisa. Interpreta, incorpora, deixa o coração palpitar…
Tá todo mundo olhando. Não ligue. É personagem, não é você… é fantasia.
A vida é um teatro, baby. E tá todo mundo querendo aparecer.

[merecido pra essa segunda-feira]

o que vier, é lucro.

É claro que você paga mico. Afinal, só o fato de passar por entrevista, gaguejamento, tiques nervosos, entre outras coisas, já diz que alguma coisa você quer, e muito.
Eu, depois de sei lá quantos anos de corpo mole (afinal, a partir de quantos anos passamos a contar a vagabundisse?), estou caminhando para um emprego de verdade. É grande coisa pra mim, pois estou me esforçando, e isso quer dizer andar muito, ir a lugares que nunca fui na vida sozinha e passar por aqueles olhares básicos de observação, afinal, querem saber o que tenho pra oferecer.

Nada definido por enquanto, mas eu espero poder contar aqui com mais detalhes assim que possível. Ainda estou na fase de treinamento, assistindo palestras 8 horas por dia e sensação que o dia deveria ter mais horas! Mas, se eu tô seguindo, é porque é bacana =)