Collab Vah Andrade: Os Peixes

Collab – Os Peixes, por Vah Andrade e Re Vitrola

Fazia muito tempo que queria fazer um trabalho colaborativo com alguém, planejei no início do ano com minha amiga talentosa e jornalista Vah Andrade nem de longe eu fazia ideia que seria tão fantástico!

Um collab parece algo simples, mas não é só isso: é magnífico! Para vocês terem ideia, quando a Vah e eu concordamos em fazer, não foi estabelecido nenhum texto nem ilustração pois foi tudo muito rápido, logo, o texto dela foi surpresa para mim assim como a ilustra foi surpresa para ela.

O resultado é esse que vocês estão vendo, que eu AMEI.

Para a composição, utilizei:

  • Papel craft – meu vício por papel com cores terrosas
  • Tombow preta n15
  • Posca branca 07mm
  • Cis Ultrafine ECO
  • impressora para o texto

Expectativas são como peixes que eu alimento com uma ração chamada “amorzinho”. A “amorzinho” contém gramas de alegria, otimismo cego, egoísmo disfarçado de justiça e tudo que poderia nutrir os meus peixes.

Todos os dias eu alimento-os um pouco, chego a perceber que estão muito grandes, mas ignoro e compro um aquário maior. Mesmo com medo dos meus peixes crescerem demais, continuo seguindo a vida com muito orgulho do que eu fiz por eles, porque amo o que eu criei e não o que realmente eles são.

 Certo dia percebi que os meus peixes estavam enormes, maiores do que eu e que a “amorzinho” não os alimentava mais. Tive que jogá-los no mar. Fiquei triste, pois eu nunca mais veria meus peixes da mesma forma outra vez, porém, já crio outros e espero que não cresçam tanto.

Estamos muito ansiosas para saber o que vocês acharam. Deixe sua opinião aí nos comentários ou nas nossas redes e nos motive a fazer mais! ♥

Vah AndradeTwitter / Instagram

Re VitrolaTwitter / Instagram

10 coisas que aprendi depois que me tornei vegetariana

Sempre achei alimentação um troço muito pessoal: seu gosto, suas referências, lembranças, tudo ali, num pratinho, prestes a saciar sua fome (ou desejo).

E também acho alimentação algo muito mutável na minha vida. Tenho gostos que foram mudando com o passar do tempo, coisas que eu gostava e não gosto mais, e coisas que eu não gostava e hoje em dia como sem problemas. E recentemente, aconteceu o mais transformador: eu decidi virar vegetariana.

Claro que isso não foi uma ideia que surgiu DO NADA. Eu trabalhava isso na minha cabecinha há muito tempo, um desejo com falta de atitude, eu diria. Como agora preparo comida do dia-a-dia exclusivamente para mim (com exceção da amiga Gabi que vem almoçar todas as terças mas não se importa com o cardápio vegetariano, rs), eu percebi que seria o momento ideal.

Aos poucos, fui tirando carne do meu cardápio e do meu orçamento. Não sei dizer se os custos baratearam, talvez tenha ficado elas por elas, mas os pratos ficaram mais diversificados. 

Logicamente, eu conto com o privilégio de morar numa cidade onde mesmo sem ter carro, consigo estar em qualquer mercado da cidade em no máximo 25 minutos, além de poder contar com as feiras, lojas com produtos orgânicos/naturais/cerealistas, etc. 

Eu posso dizer que minha consciência está bem mais tranquila agora, embora eu ainda não seja vegana (que eu considero um passo mais adiante… uma coisa de cada vez!)

 

10 coisas que aprendi depois que me tornei vegetariana

  • Os restaurantes/lanchonetes tem poucas opções se você é vegetariano e às vezes compensa mais fazer sua comida/lanche em casa mesmo 🙁
  • Tem que ser bem específico ao explicar que você não come carne, de nenhum tipo. Pedi um lanche sem carne outro dia, mas veio presunto…
  • SEMPRE tem uma versão vegetariana pra maioria das coisas que você come. Já fiz até salsicha aqui em casa, hambúrguer…
  • Pra quem, como eu, come quase de tudo, admito que é BEM mais fácil. Adoro experimentar coisas.
  • Isso que você vai sentir falta da carne não é regra. Vai muito de cada um. Com o tempo você acostuma, principalmente se seu conceito for baseado ao não sofrimento dos animais. Até o cheiro deixa de ser atrativo e você come de boas seu churras de legumes enquanto a galera come carne.
  • Não existe “virou vegetariano e ficou chato”. Gente chata é chata sempre, independente da escolha alimentar, só que a gente nunca se dá conta até que doa na nossa consciência ou emita opinião sobre algo que gostamos. Reparem só.
  • Não acho nem mais fácil nem mais difícil cozinhar, mas a gordura da louça é menor.
  • Tem PTS (proteína de soja) boas e HORRÍVEIS. A primeira que comi era horrível. Dei uma segunda chance e achei uma bem boa. A forma como você prepara/tempera também influencia muito.
  • Comida japa vegetariana é SENSACIONAL. Mesmo. Feijoada ainda preciso comer uma que me surpreenda pra valer.
  • As pessoas ou te criticam muito por ser vegetariano/ tiram sarro/ debocham ou ficam curiosas. No fim das contas, é tudo falta de informação sobre o que é realmente ser vegetariano (é mais simples do que parece ser, rs).

 

Alguns dos meus pratinhos do dia a dia, pra vocês verem que não como comida feia nem sem graça, muito pelo contrário:

Lentilha, farofa de ovo e cebola, batatinhas assadas, abobrinha refogada, farofa de couve, feijão rajado…

 

Strogonoff de queijo minas e champignon, chuchu com pts de alho, purê de abóbora, feijão branco, farofa de pts…

 

Feijão bolinha, berinjela refogada, hamburguer de lentilha, purê de milho, arroz cateto com arroz vermelho, repolho…

onigiri com abacate, cenoura e pepino. nhammy!

 

É isso! Alguém já fez uma mudança do tipo assim na alimentação?

A importância do Facebook OpenGraph

Você já ouviu falar em SEO?

SEO significa Search Engine Optimization. Em outras palavras, otimizar seu site ou páginas do seu site para que ele seja melhor encontrado pelas ferramentas de busca (tipo nosso famoso Google). É tipo pegar um manual do seu blog/página e dizer: “oh, aqui tão todas as minhas infos”. Sacou?

Mas não é só pro senhor Google que você precisa mostrar direitinho do que seu site fala. No Facebook, os chamados metadados de publicações também são mega importantes! Isso vai fazer com que suas publicações atraiam mais visitantes, por já ter um resumo do que a pessoa irá encontrar ali.

Já aconteceu de você postar um link do seu blog no Facebook e não aparecer imagem nenhuma na sua postagem, ou uma imagem aleatória qualquer, resultando numa frustração sem tamanho? Então esse tutorial é pra você!

Na imagem abaixo, temos um exemplo de um link postado com metadados, informando ao Facebook – e ao leitor – uma ideia/resumo do que será encontrado no meu blog.

 

pagina-metadados-vitrola-opengraph-wordpress

 

Tá, mas como a gente faz isso tia Vitrola?

No WordPress, eu utilizo o plugin YOAST SEO, que me auxilia não só nisso, mas também em outras funções SEO para meu blog.

No menu do plugin (que fica ao lado esquerdo do seu painel do WordPress após a instalação do YOAST), selecione a opção SOCIAL e depois, vá na aba FACEBOOK.

Preencha as informações de acordo como você quer que apareçam no resumo de suas postagens do Facebook: faça upload de uma imagem que represente seu blog, insira o título do seu bloge uma descrição curta do que você acha relevante sobre ele. Salve as alterações.

 

yoat-seo-opengraph-tutorial

 

Para ver como ficou, visite o Facebook Sharing Debbuger. Cole o link do seu blog no campo e depois clique no botão “depurar“.

 

DICA DE OURO: Após clicar em depurar, provavelmente você encontrará uma mensagem de erro na parte superior, que talvez impedirá de você aplicar suas mudanças feitas no YOAST SEO. Aqui funcionou perfeitamente após eu ter clicado em SCRAPE AGAIN, como na imagem abaixo. Em alguns blogs, diziam que era um bug do Facebook… mas não sei afirmar isso com certeza. Só sei que funcionou!

 

facebook-opengraph-tutorial

 

É isso. Gostou? Compartilha com seus amigos e me motive a produzir sempre conteúdos do seu interesse! ♥

 

Nota: não sou especialista na área, tudo que fiz foi baseado em leitura em alguns blogs sobre o assunto. Aqui nesse blog tem um artigo bem legal e completinho sobre a assunto, pra quem quiser saber mais. Join!