Qual é o país que você quer para os seus filhos? #protestomaterno

 

protestomaterno_1

 

Parecia que levaria um século para que o povo se manifestasse contra insatisfações. Parecia coisa de gente entendida, politizada. Parecia  que era coisa que só acontecia nos filmes, ou de outros tempos. Parecia que quem já travava guerra há tempos, estava sozinho.

 

Diante dos meus olhos, parecia irreal. Mas eu vi, um povo cansado e em busca dos seus direitos. Da rua ou de casa, tudo que tem acontecido, eu quero acreditar que abrirá os olhos de quem vota no palhaço, no ator. Não podemos jogar fora a oportunidade de votar. Não quando você precisa fazer as contas a cada vez que a passagem sobe. Não quando você precisa de atendimento médico e não sabe se voltará com vida. Não quando você precisa trabalhar e não tem como pagar uma creche que não esteja com o teto caindo para os seus filhos.

 

Entre os vários depoimentos que li das mães na postagem coletiva Protesto Materno (vocês podem conferir os links de todas as postagens AQUI), uma das mães disse ter ido ao hospital e voltou sem vacina para a filha. Eu já passei por isso, e sabem o quanto isso nos deixa com sensação de impotentes? Saber que a saúde dos nossos filhos está nas mãos de um governo que não atende a população como deveria?

 

Por ser um assunto delicado, não costumo mencionar, mas é dolorido saber que já perdi um filho por causa de um hospital sem funcionários preparados e estrutura. E dali em diante, acima da dor do ter perdido meu filho, ficou o pensamento: quantas mais pessoas precisarão morrer para que algo seja feito? E ainda tem gente achando que é só por 0,20…

 

Infelizmente, o que tenho visto desde que se deu início os protestos é força à frustração. Quem está acompanhando os fatos sabe que tudo parece ter tomado caminhos um tanto quanto perdidos, mas somos jovens nessa luta. Não devemos dançar a música que nos dão, mas podemos dançar todos juntos ao som de uma única música. Será que conseguiremos? Eu quero acreditar que sim! E quero que meu filho, hoje com 7 anos, faça parte do país consciente, que tem voz, que luta por mudanças e é atendido ao que é nosso por direito! Qual é o país que você quer para os seus filhos?

 

 Sobre o #PROTESTOMATERNO

“O Protesto Materno surgiu da vontade de mães fazerem algo pelo país, já que nem todas podem ir para as ruas com o seu filhote. O movimento começou com a adesão de mães blogueiras (mais de 150), que postam em seus blogs nessa sexta-feira suas visões e opiniões sobre o movimento legítimo e democrático que toma conta das cidades! O protesto reúne outras centenas de mães conectadas – que já estão divulgando o manifesto virtual via redes sociais – e as que decidiram levar essa união materna de volta para as ruas. 
O intuito é engrossar as manifestações pacíficas que estão acontecendo pelo Brasil, apoiando mudanças além dos 20 centavos e que, sem dúvida, podem fazer da nação verde-amarela um lugar melhor para nossos filhos. Lutamos por educação, saúde, segurança, menos impostos, um basta a corrupção e impunidade.
Nem precisa ser mãe para divulgar o banner e a tag 
#protestomaterno, criados para representar a iniciativa – que pertence a todas as famílias brasileiras! Mas que fique claro; isso não é apenas a circulação de um banner bonitinho; é a união de pessoas realmente preocupadas com o futuro dos filhos!
Já são mais de 150 blogs maternos participantes, com o apoio de movimentos nas ruas de várias cidades. Nesta sexta-feira, às 10 horas da manhã, haverá um twitaço para balançar esse país!
Porque quem disse que mãe só entende de fralda?! Mãe entende do futuro dos filhos e quer o melhor para eles! Vem com a gente! Ajude, compartilhando, escrevendo, divulgando os links e acompanhando pela tag #protestomaterno! Também usamos 
#mudaBrasil #acordabrasil#vemprarua #ogiganteacordou.”

 

 



6 thoughts on “Qual é o país que você quer para os seus filhos? #protestomaterno”

  • Show de bola, apoio qualquer tipo de protesto, seja na rua ou na internet. No meu caso fui pra rua, aqui na minha cidade mesmo, reuniu uma galera legal, foi tudo muito pacifico, e é de pessoas assim que estamos precisando! Protestem mesmo! hehe

  • perfeito esse manifesto…
    achamos q so ajudamos o país se formos nas ruas, mas acho que a melhor mudança vem nas eleiçoes.
    estou cansada de ouvir que trazer medicos de fora vai ajudar a falta de medico. quero estrtura, medicos nao vao por interior é por falta de pagamento em dia, é por falta de medicamentos, leitos, equipamentos
    vamos dar um basta nisso
    #PROTESTOMATERNO

  • Justíssimo Re. Acho que a pior sensação do mundo é a da incapacidade, quando algo tem que ser feito, você sabe o que é mas não pode fazer.
    Algumas pessoas não creditam o manifesto de sofá, acham que só pq a pessoa não está nas ruas gritando e caminhando junto aos demais, ela está menos ativa. Ledo engano…
    O importante é que todo esse movimento desperte o interesse nos cidadãos. Pode ser que hoje (isso, hoje, sexta) nada mude, mas haverão eleições em Outubro e acredito que os votos serão mais conscientes e que aqueles que consideram o povo idiota, temerão dar a cara a tapa.

    Minha mãe e minha tia ficam entre a cruz e a espada quando saímos para protestos.. Elas temem o pior. Sabem que muitos são pacíficos, mas pequenos baderneiros podem transformar o momento e “ai meu Deus o que a gente faz?”.

    Minha mãe é professora de História e tem recebido recados no Face, de alunos que agradecem a ela o ensinamento, as aulas onde ela discute política, onde sempre disse que “o povo não sabe a força que tem”. Ela está tão orgulhosa sabe… Vejo a felicidade dela e sei que a mudança está valendo a pena.

    Não podemos parar, cabe a nós mudar nosso país!!!

    Beijão, Carla Mariano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *