Tag: desenhos

Sobre o Papelãozinho do Dia

Faz um tempo que tenho mentalizado que não importa como você vai fazer: apenas faça! Isso de ficar esperando que tudo só saia quando está perfeito nos leva a algo que todo mundo já sabe, né? E esse lugar se chama lugar nenhum.

 

XO1adfo

(desculpa, não resisti ahah)

 

Então lancei um projeto, meu. Algo que eu me dedicasse ao meu ritmo, que fosse gostoso, divertido. E assim nasceu o Papelãozinho do Dia.

 

Primeiro de tudo é que eu não faço todos os dias, apesar de se chamar Papelãozinho do Dia. Eu não sou boa com isso de postar coisas todos os dias, então pra quê me responsabilizar com algo que sei que não vou conseguir e me sentir mal com isso? Não, né? Então é isso: papelãozinho do dia que eu tô a fim. Simples.

 

Outra coisa legal é que eu estava fazendo muito desenho digital, e sentia falta de desenhar no papel. Desenhar no papel é outra vibe. É um misto de insegurança e imperfeição, mas de uma maneira positiva e gostosa, sabe? 

 

A ideia surgiu por eu adorar desenhar em lugares aleatórios: paredes, móveis, livros, contra capas. Um dia apareceu um papelão tão bonitinho aqui de um conjunto de formas que compramos (as formas são ótimas, aliás), que acabei não resistindo e desenhei nele.

 

O outro motivo é que pasmem: eu nunca tenho folhas de desenho em casa, haha! É, eu sei… como sempre diz minha mãe: em casa de ferreiro, o espeto é de pau. Então meus desenhos ou são feitos nos cadernos que ganhei da Sayuri e da Evinha (que são ótimos para desenho, aliás) ou nesses lugares aleatórios xD

 

Para quem quiser acompanhar, sempre postarei o Papelãozinho do Dia no meu Instagram, segue lá!. E claro, aceito sugestões para próximos papelõezinhos ♥ Tô muito feliz com as reações positivas do papelãozinho o/ Agora quando alguém me disser que eu fiz um papelão… eu não fiz, mas desenhei nele! hehe

 

papelaozinho-do-dia (1)

papelaozinho-do-dia-2 (1)

papelaozinho-do-dia-3 (1)

Minha vida de Ilustradora: início e desafios

Quando o Quim ainda era vivo, eu estava impossibilitada de sair de casa, e passava 24hs dentro de um quarto. E sentia uma necessidade enorme de "externar" de alguma forma a angústia que tomava conta de mim naquela época. Eu sempre usei da arte para me expressar – desenho, pintura, modelagem, costura –  mas, como eu faria isso utilizando apenas os meios ali disponíveis?

 

Aí sabe aqueles "plim" que você acha que só acontece em filmes? Aconteceu comigo. Olhei pro computador e tocou aquela musiquinha angelical: taí! eu vou ilustrar.

 

Eu cobrei, na época, 50 reais pela minha primeira ilustra digital. Pensa num MEDO. Fiz uns 5 rascunhos, morrendo de medo da minha primeira cliente odiar, falar mal de mim, pedir pra eu devolver o dinheiro… neuras normais de iniciante. Só que deu tudo certo: minha primeira cliente amou o resultado. Ufa! Aquilo me motivou de tal forma que claro, se tornou inesquecível.

 

ilustra-revitrola

À esquerda, uma das primeiras ilustras, ainda aprendendo a utilizar os programas em 2011, e à direita, uma ilustra que fiz ano passado (e é uma das minhas favoritas!)

 

Para quem não sabe, eu sempre desenhei. Nunca fiz curso, e até tentei, mas técnica é algo muito enfadonho pra mim. Então meu aprendizado é basicamente lendo, observando, experimentando. Já senti vergonha disso, hoje em dia eu percebo que cada um tem sua maneira de aprender, e você tem que ir em busca daquela a qual faz te sentir mais confortável.

 

Desenhos de 2003. Nessa época eu assinava como "Renata Penélope", e ainda não tinha encontrado um estilo de desenho. Tudo tinha total influência dos desenhos que eu assistia.

 

Com o tempo, senti que era hora de investir e assim, botar o negócio rodar pra valer. Juntei dinheirinhos pra comprar uma tablet (eu ainda uso a mesma desde quando comecei, uma Wacom Connect), dar uma turbinada no computador (até um tempo atrás meu monitor era na tv da sala, imagina, haha) e melhorar o meu cantinho que hoje em dia é todo dedicado ( tem algumas fotos aqui neste post). E claro, comecei a fazer meu jabá por aí!

 

re-vitrola

bem orgulhosa posando perto de algumas pinturas em tela e digitais que já fiz, rs

 

A parte que é SEMPRE triste, e faz parte da vida de um ilustrador lidar com isso frequentemente, é como as pessoas agem, principalmente se você trabalha em casa (home office). Não entendem que você tem horários e compromissos, que você leva HORAS para fazer um trabalho e acham que você "faz rapidinho aí no pc" e claro, que você precisa VIVER: pagar uma saída, um objeto qual você queira se presentar, etc. Isso não é vergonhoso. Acredite, já tentaram me fazer sentir CULPADA por isso. Assim como todo mundo que trabalha, você MERECE receber por ele! É justo e não é crime algum.

 

Ter um trabalho independente é bom, mas a gente erra muito, e tem que aprender a lidar com muitas coisas – na maioria delas, sozinho –  principalmente, com paciência, pois as coisas nunca virão num estalar de dedos e tem seus altos e baixos… e eu continuo recebendo minhas lições. A última e a mais recente delas, foi a mais difícil de todas: eu achei que era hora de parar. Eu perdi o foco, desanimei, não sentia o mesmo prazer de antes. E foi necessário, pois só assim pude refletir melhor sobre o que eu queria, como eu queria… e tudo está bem melhor, meu coração voltou a bater timidamente, embora eu ainda sinta que tenho um longo caminho a percorrer … mas isso é conversa pra outro post!

 

meme super fofo que rolou esses dias e não resisti! #conheçaoartista #meettheartist

 

Quis fazer esse post só pra contar um pouquinho da vida de ilustradora pra vocês (tava devendo um tempão, eu sei!), mas te pergunto: você tem alguma dúvida? Tem algo que gostaria de saber que eu não tenha mencionado aqui? Fique à vontade para perguntar, eu vou adorar responder e quem sabe, ajudar caso você esteja começando também 🙂 E claro, aos amigos ilustradores e blogueiros: eu adoraria saber mais sobre a vida de vocês como ilustradores num post como esse! ♥

 

Ganhadoras do Sorteio “Quero Ser Ilustra”

Oi pessoal!

Olha só… não sei por aí, mas o ritmo aqui anda leeeento… esse calor não chega a matar (ou chega?), mas é quase isso. Só vejo as gatinhas daqui de casa jogadas pelos cantos, e eu tô no mesmo ritmo. Tá complicado! 

Minha casa tá em estado crítico. Tô fazendo o básico do básico – de preferência, coisas que envolvam água, hah! – e óbvio, os trabalhos. Mas estava tão ansiosa pra fazer as ilustras das vencedoras do sorteio, que não tive como adiar mais, apesar do calorão. As ganhadoras, como comunicado na página, foram a Pamela e a Rogéria (sim, foram 2!). Espero que vocês gostem, meninas. Fiquei muito feliz de poder ilustrar vocês!

 

Pamela

pamela

A Pamela tem esses olhos puxados que fiquei apaixonada e é toda estilosa. Eu gamei numa foto dela com lenço nos cabelos, então acabei inserindo na ilustra também.

 

paloma-finalizada

 

Rogéria

Eu já conheço a Rogéria um tempão pela interwebs, mas só ano passado nos conhecemos pessoalmente. Eu adoro o estilo da Rô, cheio de colares grandes, lenços no pescoço e cabelos que dançam com o andar!

 

rogeria

ilustra-rogeria

 

 

E por último, uma que não foi ganhadora do sorteio, mas como era aniversariante da semana e minha amiga, decidi fazer surpresa com uma ilustra especial <3 A Pamzinha que tanto adoro!panelaeuropeia3E é isso! Quem não ganhou, nada de ficar triste. Em 2015 ainda haverão muitos sorteios por aqui, então fiquem de olho. E lembrando que *JABÁ MODE ON* quem quiser uma ilustra assim também, pode entrar em contato através do e-mail ilustra@mulhervitrola.com.br e fazer sua encomenda, que ficarei muito feliz em atendê-lo 😀 ♥