5 dedinhos

Quando criança não entendia muito bem quando minha mãe dizia que eu era “uma mocinha”, e , em outras horas “que eu era um bebê”. Até eu ser mãe, claro. Meu rapazinho, que ainda é um bebê, completa 5 aninhos amanhã, dia 10. Faz tanto tempo, mas parece que foi ontem. Ele tá enorme, mas ainda cabe no meu colo. Inteligentíssimo, já me dá aulas de Nintendo DS, sabe modelos de carros que nunca vi e faz perguntas encurraladoras das quais não consigo sempre responder, mas não sabe nada da vida ainda. Independente, come sozinho desde 1 ano e poucos de idade, odeia que ajudem-no a se vestir, mas quando algo não dá certo, não pensa duas vezes em chorar pedindo ajuda.

Me submeto a dizer o clichê mais meloso: o aniversário é dele, mas sou eu quem sou presenteada todos os dias só em saber que ele existe.  Eu que esqueço de tudo e todos num abraço apertado de bracinhos tão pequenos… inclusive nos contratempos que é ser mãe.
Feliz 5 dedinhos pro Pedro.

Foto0019

“Melhor do que viver, é ter uma excelente razão pra isso.”

ps: Vou viajar pro RJ então o blog e o Twitter fica abandonadinho até segunda-feira. Comportem-se, hein?

Instinto maternal anti-motivacional

Para as grávidas: Esse post contém revelações de alto teor desanimador e recomenda-se a leitura somente se estiver em condições psicológicas favoráveis… ou com uma barra de chocolate ao lado.

O Pedro, meu filhote, vai fazer 5 anos mês que vem, dia 10, e eu me lembro como se fosse ontem quando ele ainda era um ser saltitante – principalmente na hora de dormir –  dentro da minha barriga.
Claro que eu não esqueceria. Foi minha maior, e espero que por um bom tempo, maior sensação.
Grávida não reclama de barriga cheia (ops! olha o trocadilho)… isso é, se você acha bom ficar inchada, com dores nas costas, seios gigantescos, fome de 2 mendigos e vomitando até o ar que respira. Fora o melodrama: imagina uma mulher (le-se: objeto redodondo não-identificado) chorando por um biscoito que veio sem recheio? Então.

Mas não é esse o fato. O fato é que, eu, que fui um grávida ip-ip-hurra-feliz (!!!), fico constrangida quando tenho que dar ajuda motivacional para outras grávidas. E eu não sou boa nisso. Prova disso é que, uma companheira de classe, desapontada pelos enjoôs frequentes da gravidez, ouviu de mim a frase mais animadora possível: “Aguenta, porque a tendência é piorar!

Pois é. Quem sabe um dia não dou palestras?

Screenshot_17

                                                Barbie não incha e de ‘ovão’ pra barriga lisinha é ZÁS!


Edit: Já ia esquecendo… Feliz Jason 13 pra vocês! E falando em sorte, a Chris Mise fez um post fofo sobre gatinhos pretos . Me diz se tanta fofura dá azar, hum?