teatrinho.

As cortinhas se abrem. A luz vem, você é o centro das atenções. Respira, é hora. O corpo falando, gritando. Deixa escapar um erro ou outro, ruboriza, olhos queimam, ensaia correr pra qualquer lado. Respira. Pensa num arco-íris, numa moita, pensa em qualquer coisa. Interpreta, incorpora, deixa o coração palpitar…
Tá todo mundo olhando. Não ligue. É personagem, não é você… é fantasia.
A vida é um teatro, baby. E tá todo mundo querendo aparecer.

[merecido pra essa segunda-feira]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “teatrinho.”