Daily Archives: 19 de julho de 2013

1 post

Máquinas de lavar modernas não precisam de brutamontes

Eu já não aguentava mais a velha máquina de lavar daqui de casa. A máquina já era chamada de “helicóptero” há um bom tempo, e acho que até a vizinhança sabia quando eu lavava roupas. Na escala de decibéis, para evitar alguma denúncia, dois membros da casa foram vetados de funcionamento após as 10 da noite: o aspirador de pó (que  meu marido jurou de pés juntos que dá para ouvir da esquina) e a máquina de lavar. Até o liquidificador é liberado após às 10.

 

Mas como o consumismo pode ser bendito, somos adeptos do “assine nossas propagandas”, e foi numa dessas que encontramos a máquina de lavar ideal. Gostamos do anúncio, uma Electrolux formosa e pelo preço, era uma empolgação só a cada item que líamos: ‘”Nossa, 15kg!” “Nossa, tampa de vidro temperado!” “Nossa, olha esse dispenser!”. Coisa de gente caipira. Ou, gente que tá montando as casas aos pouquinhos, e né, é sempre aquela emoção com coisa nova.

 

Washing Machine

 

 

Meu marido comprou uma máquina de lavar antiga (helicóptero) quando se mudou pra Ubatuba, sozinho, em seu primeiro emprego. Não gosto muito de levar para esse aspecto mas vamos lá: ele era jovem demais, morava sozinho e escolheu uma máquina de 7kg, sem firulas, e, gosto de enfatizar: sem tubo no meio. “Sem tubo no meio não lava direito, mô!”, eu repetia. Agora somos dois e 4 gatinhas, sujões, e uma máquina de 15kg era tudo que precisávamos.

 

Antes da chegada eu já imaginava o tamanho: “Deve ser um trambolhão!“. Nem medi o espaço pelo fato da minha área de serviço ser maior que a minha sala. Melhor: é o maior cômodo da casa. E como sempre, imagino ansiosa um caminhão chegando na porta de casa, trazendo coisa nova. Pensei: “uns 3 homens para carregar uma máquina dessas“. E na quinta-feira de manhã, chega máquina, chega caminhão, abro o portão maior e fico esperando 3 entregadores grandões tirando com muito cuidado e dificuldade a gigantesca máquina de lavar.

 

Desceu do caminhão um senhorzinho, óculos grossos, de cabelos brancos, baixinho (mais baixo do que eu, inclusive). Sozinho, com a máquina em cima de duas rodinhas que faziam “fuc fic fuc fic“. “É só o senhor?” “É sim moça. Onde coloca?“. “No final do corredor, último cômodo…“.

Tá, já sei. Tamanho não é documento. Nem força, OK?

 

89-year-old-strong-man
MEUA MIGO NEM VENTO ME LEVA SOU FORTE COMO TOURO

 

Nota: a dona deste blog não possui nenhum tipo de fetiche com entregadores grandões. Deixo essa opção para roteiro de novelas da rede grobo e filmes do canal Sexy Hot HD, imagem bem melhor, mais nítida, um roteiro um pouco fraco, convenhamos, DO QUAL EU NÃO ASSISTO.