A boa vizinhança das redes sociais

81774593 A questão é que quando se trata de redes sociais, não tem professora de etiqueta que dê jeito. Aliás, quem nos educou para as redes? Quase imagino um futuro onde as regras virtuais farão parte dos livros didáticos: “não dê unfollow naquela sua tia”. Não ache estranho… já que existe gente  contratada só para um simpático aconselhamento em redes sociais.

Mas me pego em situações diversas (e entenda também por constrangedoras, como alface no dente). Havia um amigo do marido que sempre frequentava (lê-se: comia e dormia) a minha casa, e um dia eu reparei que ele havia “me eliminado” do seu Facebook. É claro que me questionei o porquê da atitude… mas não foi além disso. Em contrapartida, existem pessoas que falo regularmente, e não as tenho no Facebook (e até mesmo em outras redes sociais) . Estranhamente, não existe nenhuma cobrança com essas pessoas…

As redes viraram uma algema de aturação. A partir do momento em que possuímos alguém, e quanto mais próxima ela foi ou é, mais constrangedor é a simples ação de um “unfollow”. Vivemos hostilmente em comunidade. Não importa se é alguém com quem você briga judicialmente, se possui discussões interminadas, se tem opiniões contraditórias às suas… somos muito mais “pacientes” virtualmente, e um excluir pode muito bem ser o “desconvite” do seu próximo churrasco no fim de semana. Ou em alguns casos, o livramento… será?

E você, sente alguma dificuldade em excluir virtualmente alguém que mantém contato no ‘mundo real”?

51 comentários em “A boa vizinhança das redes sociais”

  1. As pessoas mais “nada a ver” acabam fazendo parte das nossas redes sociais. Pessoas que mal conhecemos, ou conversamos nos adicionam e é aí que passamos a realmente conhecê-las. Daí, descobrimos que são chatas pra caramba por inúmeras razões. Ainda vivo o dilema entre excluir ou não, fico sem graça, sabe?? Não sei como agir…

  2. As pessoas mais “nada a ver” acabam fazendo parte das nossas redes sociais. Pessoas que mal conhecemos, ou conversamos nos adicionam e é aí que passamos a realmente conhecê-las. Daí, descobrimos que são chatas pra caramba por inúmeras razões. Ainda vivo o dilema entre excluir ou não, fico sem graça, sabe?? Não sei como agir…

  3. Meu irmão faz isso com as pessoas, por exemplo, ele não adiciona nosso pai de jeito nenhum, usa até o nome escrito diferente para caso dele o achar, haha.
    Acho que isso existe mais por uma questão de liberdade cybernética. Ter pessoas que convivemos diariamente nessas redes sociais nos limita um pouco pelo medo do que elas vão pensar.
    Ou no meu caso, tenho pavooor de adicionar gente conhecida tipo vizinhos de meia idade, que toda vez que me verem vão comentar sobre algo que escrevi ou foto que postei no fb por exemplo.
    Temos vida dupla, essa é a realidade (y)

  4. Nossa, achei super pertinente o post!
    É engraçado como as coisas são nas redes sociais… Como você bem disse, a gente tem que aturar algumas pessoas, porque muitas vezes eliminá-la dos amigos do Face ou dar unfollow no Twitter pode causar um mal estar, principalmente se for uma pessoa que se convive cotidianamente…
    Não sou lá muito paciente mas prefiro evitar esse tipo de situação, então acabo ignorando conhecidos que tenho no Facebook e não gosto, mas deixo lá por educação… Quando vejo que é a pessoa postando alguma coisa, já passo direto, nem leio ou presto atenção… hahaha

  5. Nossa… quanto tempo não passava por aqui…Andei meio desanimada de blogar, mas enfim uma vez blogueira sempre blogueira.

    Amei seu post! Eu tenho uma imensa dificuldade de manter pessoas que considero chatas nas minhas redes sociais. Boqueio sem dó. Já aconteceu muitas vezes de eu bloquear e depois sentir falta daquela pessoa, ir lá e add de novo, fazer o que neh?

    Um beijão p ti

  6. Olá Renata (vitrolinha) eu amei seu blog, ja estou seguindo por que de verdade gosto de ler blogs assim como o seu.
    Realmente as vezes é dificil excluir certas pessoas, tenho gente no meu facebook que apesar de conhecer não tenho contato a anos, mas sei q se excluir a consideração q ainda temos ao passar na rua e dizer: “oi” irá acabar rs.

    se puder e quiser visita meu blog http://metidaabesta.com
    nasceu a pouco tempo, mas se vc gostar pode seguir.

    xau bjus

  7. oi Renata tudo bem? Encontrei teu blog assim:
    dona flor e seus três meninos —> volta, mundo blogueiro —> mulher (e mãe) vitrola

    Depois de um tempo no mundo dos blogs e de vez em quando pensando que deve existir um mundão de blogs diferentes do que eu venho lendo por aí encontrei os seus…

    Prazer em conhcer passarei mais por aqui apra renovar as idéias!!

    ABrços

  8. A vida virtual imita a vida real. No dia a dia somos obrigados a conviver com pessoas com quem não temos muita afinidade no trabalho, na família, no curso, no meio religioso… Teoricamente só adicionamos nas redes sociais quem a gente quer, mas sempre tem algumas pessoas que fica difícil deixar de fora, aí só resta mesmo apelar para recursos como as listas (Facebook), filtros (Tweet Deck) e ter paciência e jogo de cintura, afinal nada é perfeito.

  9. No Facebook eu acho meio difícil de excluir, mas no twitter eu dei unfollow em um monte de gente que conheço e convivo na vida real,porque simplesmente não aguento ler a pessoa D: Daí minha home fica infestada de coisas que não quero ler (?) Tipo isso. :l
    Só que no facebook eu só excluo quando não gosto de alguém :O

    Mas isso é total verdad,e né? Meu amigo encara unfollow no twitter como fim da amizade, sério o.o muito radical isso!
    E tem pessoas que deixam de te convidar pra sair, com a justificativa de “Ele me excluiu no face, então nem chamei” :C OISDHFISDUFH
    Beeijo, Renata 😀

  10. Oi! Nossa, adorei seu blog! Menina, mas sabe que eu tenho dificuldade em excluir pessoas?? Sério!

    Fiz até dois MSNs: Um para as pessoas que eu já conheço os hábitos e me dou bem, outro para pessoas recém conhecidas (claro que elas não sabem disso kkkk). Tudo isso só pra eu não ter que excluir alguém do MSN. Twitter eu também só sigo se me identificar. Facebook, bem, eu já sou mais liberal e aceito quase todo mundo. A pessoa permanece lá sem problemas, desde que não poste muitas besteiras.

    Mas esse negócio de excluir gente conhecida, é super complicado.

  11. ” somos muito mais “pacientes” virtualmente”
    Olha, quisera eu que fosse assim. Aliás, é justamente essa não-paciência online, esse extrapolar e sentir-se o dono do pedaço que tem feito as pessoas se comportarem de forma bem bizarra.
    Mas sabe? Já, claro, cheguei a me irritar com algumas pessoas, seu modo de agir, forma como escrevem, mas eu percebo que no facebook, o maior exemplo da “demostração de irritação com o alheio” na web, a galera não para pra pensar que o espaço do outro…é o espaço do outro. Não gosto quando alguém é indelicado no MEU mural, por exemplo. Ou quando algum amigo posta algo sério e sei lá, as pessoas aparecem com comentários tão aleatórios. Mas eu aprendi a rir disso e deixar pra lá. Mas defendo que a gente é MUITO a gente aqui. Aliás, cuidado com o que vc posta e comenta, não me venha com essa que foi sem querer.
    Sobre excluir pessoas: nem sempre o comportamento das pessoas mais queridas me agrada, mas pra quê gerar alguma mágoa sem um motivo justo? Pq sim, alguém pode ficar magoado com o simples fato de não fazer mais parte da tua rede social. Refiro-me bastante ao twitter, quando penso neste caso. É chato, eu sei, ter uma timeline super poluída, mas sei lá..sejamos (agora sim) pacientes e vamos fazer o favor de ir ver outros sites, não? Minha sugestão é essa.
    Já fui excluída do face por conhecidos, gente que nem tenho mais contato, gente que nunca tive contato direto e não me sinto mal por isso, tão pouco tenho raiva. Mas acredito que esse bom senso que tenho, poucos possuem. O que mais tem no meu face é gente desconhecida, mas muita gente que não me interfere em nada. Ainda existe a questão das minhas camisetas. Isso me incomoda um pouco. Quero um perfil só pra ela e depois, quem sabe, excluir algumas pessoas. Mas sei lá, gosto de conhecer pessoas e às vezes o processo começa do virtual pro real mesmo, fazer o que? Acho que no twitter a gente deveria desencanar desse medo sim. Mania bizarra de querer ser seguido de volta e de desejar ser best friend forever de fulaninho famoso. O ego lateja naquele passarinho.
    É infantilidade ficar com raiva por não ser parte da rede social de fulano? É. Mas pra quê tantas novos motivos de raiva? Pra quê se irritar tanto com todo mundo? Ai gente.
    Isso, pra mim, é pior. =/

    O texto foi muito bem escrito e eu espero que nós tenhamos paciência com o diferente. Vamos sofrer pelo que realmente for sério. Isso basta. 🙂
    bjos

  12. Olha.. eu acho que a gente que tentar manter a boa convivência sempre e para isso acho que acabamos tendo que aturar algumas pessoas das quais não gostamos muito. Isso não é diferente na vida virtual. No Twitter eu até que dou unfollow quando os tweets não me interessam, só sigo quem realmente me interessa! Mas no Facebook e no já quase falecido Orkut eu acabo aceitando pessoas que eu nem dou a mínima! Tem gente que diz que é falsidade, mas eu prefiro encarar como tolerância e educação!

    Boa reflexão!
    Beijo :*

  13. Pra ser bem sincera eu não tenho esse tipo de problema, nem na vida real e nem na virtual. Eu sou um pouco mais grossa do que deveria nas palavras, então pra eu acabar com uma amizade é bem fácil. Meu problema maior é a família, que nas redes sociais eu sou “obrigada” à seguí-los, mesmo não sendo muito próxima na vida real.

    Beijos

  14. Se for algum desconhecido que mal fala comigo eu nem vejo problema pra excluir mas se for algum conhecido que falo bastante até eu fico SUUPER chateada! ja tive até brigas porque exclui ou porque me excluíram opakaoakokaa

  15. Como não? Acho que todos passam por isso! Eu já passei minutos me decidindo se ia pegar mal ou não dar unfollow em alguém. E a paranóia acontece ao contrário tb, já levei unfollow e fiquei me questionando o por que disso.

  16. As vezes exito um pouco para excluir pessoas, mas é que eu me exponho tanto no twitter e no blog (que são likados ao facebook), que acho melhor excluir algumas pessoas para evitar dor de cabeça!

    O que realmente me irrita não é o unfollow, mas as pessoas que te dão follow e unfollow repetidamente dependendo do assunto que você trata no dia. Falou de futebol? Unfollow! Tá falando de trabalho agora? Follow! Falou mal de uma banda que eu gosto? Unfollow de novo! Isso me irrita, eu interpreto como uma pessoa meio interesseira, que só se interessa pelo que eu faço de vez em quando, e que me acha descartável nos outros dias. Não sei se essa minha implicância é uma atitude lá muito madura, mas sempre enxerguei as coisas assim.

  17. Eu acho que excluir uma pessoa de uma rede social é excluir realmente a pessoa da sua vida, porque, mesmo que você não tenha tanto contato ou intimidade com a mesma, mantê-la adicionada no facebook, ou orkut ou seja lá o que for, é questão de educação mesmo… as vezes você nem fala direito com ela, mas, por conhece-la acaba adicionando-a. Eu, não me importo de ter todas as pessoas que conheço nas minhas redes.. lógico que não sou aquele tipo de pessoa que conhece alguem ontem e hoje já adiciona no facebook, não rsrs… mas quando EU excluo alguem das minhas redes, é porque, de fato, estou excluindo todos os tipos de contato com ela…

  18. Já imaginou se a gente fosse obrigado a seguir todo mundo que ‘conhece’ so por educação? DEUS NOS LIVRE! Já ”perdi” tantos contatos por conta disso.. e olhe a minha cara de preocupada?
    Minhas redes sociais,minhas regras.
    Não é pq a pessoa acha que me conhece e se considera o meu parente que deve esperar que eu as tenha em minhas redes sociais.Não sou educada o suficiente pra isso.

  19. Ótimo post, é bem isso, no face é como se tivessemos vizinhos q damos um oi de vez enquando, viramos os olhos quando eles não olham para a gente, é estranho né?
    mas eu nem sempre tenho coragem de excluir! vou deixando, deixando!
    tem umas pessoas q até á dei um oi, mas o papo enpacou e não rolou mais!
    Esses dias eu achei uma pessoa q provavelmente adicionei na época do meu blog, e eu nem sabia q estava lá, nem sabia q “existia”, fiquei com vergonha!
    tem umas que deixei de falar um tempão e sinto vergonha de puxar assunto agora! assim do nada! #essasoueu =P
    Beijuu

  20. Eu raramente excluo as pessoas, mas nego mta gente que me pede pra adicionar, principalmente se for da família.
    Não tenho nada contra aquela pessoa que visitou meu blog uma vez na vida e me adicionou, mas aquela prima pentelha chata? Não aceito mesmo
    :p

    Tem promoção rolando lá no Polypop, não perca!! 🙂
    Boa semana!
    Bjuxxxxx

  21. Olá, Renata, tudo bem com você? Espero que sim. Prazer, eu sou o Lucas. Eu confesso, que tinha um amigo no Twitter, então, eu acabei brigando com ele, e dei unfollow. E não me arrependo. Pois, não me vejo mais sendo amigo dele. Entende? Abraços, beijos.

  22. Siiiim, mas não vou dizer quem porque vou compartilhar esse post…hehehe
    Na verdade, até escreverno blog sobre determinados assuntos tá complicado…porque divulgo no TT e no FB e não sei como a pessoa interpretará o que leu!! É isso.

    Beijão.

    @_maejestade

  23. Ai Rê é complicado… dia desses resolvi excluir uma ex colega de trabalho por problemas que ela julgava ter comigo e me vi sendo tomada por satisfações do pq ter feito isso. Nossa, fiquei pensando que daqui a pouco vão querer saber pq as excluimos da agenda do celular

    Mesmo virtualmente… temos que ter um certo cuidado com quem adicionamos e mantemos contato

  24. Acho super estranho. Na verdade, eu não gosto de seguir no twitter ou adicionar ao facebook pessoas que eu sinto que em algum momento eu vou excluir. Quero dizer, às vezes não é nada pessoal, só que teoricamente somos livres pra ler ou não o que a pessoa escreve. Mas, claro, os números são tão importantes que é bom não ler por só passar o olho…

    Quanto a pessoas próximas, eu acho mais fácil, acredita? Porque sendo amigo pessoalmente eu posso chegar e falar “caraca, mas tu é muito chato, te block” (acontece, mesmo). E, acho, é mais superável.

  25. Well, well…no twitter vejo como uma rede de interesses, porque lá a maioria que te segue não é porque gosta de você, vejo assim. Já no facebook vejo como algo mais pessoal, adiciono quem gosto, quem conheço, quem conheço virtualmente e admiro, já aqueles que não gosto e não quero compartilhar deixo como restrito e pronto. Como você mesma citou também já tive pessoas que conheço que me deram unfollow no twitter e nem sei o motivo e mesmo assim, conversa comigo de boa como se não tivesse feito nada, é assim, fazer o quê…nessa mundo virtual a gente se decepciona mesmo.

  26. Assunto delicado, pois normalmente eu add pessoas que não convivo por admirar seu estilo ou profissão ou ideologia (claro que tdo se baseia na visão virtual que tenho delas)
    E é muito comum excluir ou não aceitar pessoas que conheço e converso pessoalmente porque elas me viraram a cara numa balada, fingiram não me ver ao atravessar a rua ou porque não respondem virtualmente a nenhuuma comunicação minha.
    Mas da mesma forma que excluo, convido, add de novo… sei lá, depende da pessoa, motivo, da relação…complicado né?
    Na maioria das vezes, a coloco em “quarentena” pra decidir, so engraçado, mas ajuda a preceber a real situação e sua consquencia. Porem não me afeto quando so excluída, Liberdade de Expressão!

  27. Dificuldade nenhuma, Re!
    As pessoas são mt sensíveis com cada besteira! Dou e recebo unfollow quase diariamente e isso não me abala em nada.
    Mas eu sou um caso raro que caga quilos inclusive quando falam mal de mim. Penso que se a vida é curta e incerta tenho coisa melhor a fazer que me ocupar de haters mal resolvidos. rsrs
    Amo a forma como vc escreve, querida. O Jota está bem?
    O avô do meu marido se chamava Joaquim e esse é o nome escolhido pro nosso filho desde o primeiro dia de namoro, hehe.

    Beijinhos!!!

  28. eu não sinto obrigação de nada. motivo pelo qual nenhum dos meus amigos íntimos e parentes tem o endereço do meu blog ou do meu twitter. Essa minha vidinha virtual é justamente um escapismo e deve permanecer como tal. Quanto ao facebook eu uso só para deixar recados urgentes e frequentar o grupo da faculdade.
    Acho bizarro essa história de se chatear com unfollow porque no final quem te remove mesmo da lista de amigos tende a ser aquele fulaninho de quem voce nem gosta muito, mas adicionou porque conhece.

    adorei o post. bjs!

  29. Renata,
    tudo bem?
    sou a Angi, sou lá do Tutti Mami, e tenho um blog tb!
    Por acaso tu deixaste um recadinho pra mim na pesquisa do meu blog?
    se sim me manda email, quero mto conhecer mais sua história, és minha convidada e podemos nos falar melhor por email
    angi_simon@hotmail.com
    se não, me desculpa, mas vim na intuição mesmo, pelo twitter!
    beijos querida

  30. Renata, estou rindo com o post! Não levo tão a serio as redes sociais, acho valido a interação e de vez em quando aparece gente interessante de conhecer, nem que seja só para “curtir” a felicidade dela! Na verdade eu acredito esse mundo virtual é um mundo de fantasias, tipo “Alice” todo mundo quer ser visto, ótimo, o bom é que você escolhe quem quer ver, já exclui uma pessoa que havia me chateado, a pessoa me encontrou na rua e agiu como se nada tivesse acontecido e ainda falou que eu havia excluido ela da minha vida, óbvio que eu fiquei com cara de tacho! Agora não excluo ninguém e vou pela estrada afora curtindo todo mundo, meu dedo não cai e alguém fica feliz! Beijoca

  31. Ai, tava falando disso outro dia com o meu marido… As pessoas mais “nada a ver” acabam fazendo parte das nossas redes sociais. Pessoas que mal conhecemos, ou conversamos nos adicionam e é aí que passamos a realmente conhecê-las. Daí, descobrimos que são chatas pra caramba por inúmeras razões. Ainda vivo o dilema entre excluir ou não, fico sem graça, sabe?? Não sei como agir…
    Bjos,
    Camila
    http://www.mamaetaocupada.com.br

  32. Tem muita gente que nem fala comigo na vida real e me adiciona no Face e no Twitter querendo ser meu amiguinho. Eu não tenho peninha em não aceitar o convite ou bloquear, pois acho uma super cara-de-pau nem falar comigo mas querer me acompanhar no Twitter… vai acompanhar a novela, né?! Tem uma prima minha que mora na casa atrás da minha, ela xereta direto o meu face, mas não me adicionou… bom, são essas coisas que o mundo virtual nos trás, mas eu procuro não me preocupar tanto, mas não gosto que fiquem tentando saber da minha vida dessa forma, ainda mais pessoas que não estão torcendo pela minha felicidade, só querem xeretar para ficar secando… isso virtualmente ou no mundo real se chama inveja e faz muito mal!
    Beijos e carinhos, fica com Deus

  33. oie,essa semana mesmo pensei em fazer uma limpa no meu face, tem gente q nunca fala comigo,nunca mesmo e por que eu tenho q saber da vida dela???Quero ñ…outro dia boquiei umas pessoas q conheço na vida real,mas quase ñ falam comigo,tbém ñ quer oq fiquem sabendo da minha vida virtual…
    eu só adiciono quem tem realmente alguma afinidade comigo,ñ sou ávida por seguidores no TT ou amigos no face,quero os sinceros e os que mesmo só damos um oi pra saber como esta a vida…gostei muito do seu post e estava com saudades…bjs!!!E se a pessoa tem afinidade comigo,mas fala besteira demais ou ofende alguém q gosto costumo dar um block tbém,rsrsrsrs

  34. Eu concordo que a internet me deixou mais impaciente. Porque aqui tenho a minha disposição uma função que poderia muito existir na vida real: bloquear. Bloqueio e bloqueio sem dó. Não sou obrigada a ler atualizações da tia louca que tem teoria da conspiração pra tudo no Facebook. Mas deletar não posso, já que é família. A mesma coisa pra msn. Sempre tem aquele parente nada a ver que quer te adicionar. Sem problemas. Adiciono e depois bloqueio. Não quero fazer parte da multidão que só usa msn ausente/ocupado/offline pra fugir de gente sem noção. Agora, se eu mal conheço a pessoa e o ser humano tem pendor pra me encher o saco/mandar indiretas em qualquer rede social que seja, eu deleto. Que diferença a pessoa fará na minha vida? Se eu nem paro pra pensar e responder “nenhuma”, então eu deleto. Não me preocupo com números na internet. Quero diversão. 😀

  35. Eu não tenho esse costume de excluir pessoas – acho feio, muito feio, pra não entrar em detalhes – e entendo perfis online como reflexo eletrônico do que a pessoa é. Adoro trocar figurinha, discutir política (pobres das pessoas que me tem no Facebook) e postar coisinhas, como faria na vida real. É seguro dizer que as pessoas nos perfis são conhecidas de longa data (exceto pelo Linkedin, mas ali eu não costumo logar). Enão, seria estranho chutar um amigo do Facebook, sabendo que iria vê-lo no dia seguinte. É uma idéia esquisita, mas… Enfim. Falei sobre isso outro dia no meu blog também, as pessoas tendem a achar que porque tá na internets, pode tudo. Isso também diz respeito à dança das cadeiras de adicionar e deletar gente. Poxa… Que eu saiba, não vivemos deletando amigos do jantar de sexta por qualquer bobagem. A coisa realmente tá hostil e banalizada… Acho que estamos usando a internet do jeito errado.

  36. Cara, muito legal o post. Tava pensando em escrever algo relacionado ao assunto e me deparei com esse texto aqui. Olha, por experiência pessoal, eu odeio ser stalkeado. Se começam à encher o saco mesmo sendo amigos próximos, ou comentam coisas imbecis que não tem nada à ver com o que postei,ou dá replys ofensivos, unfollow mesmo. E o mais estranho ( porque não dizer o mais triste) é que sou mais stalkeado por pessoas próximas à mim do que pessoas que não conheço pessoalmente.

  37. Olha, eu deleto MUITA gente que antes era conhecido e hj eu nem falo mais. Pra que ter alguém em rede social que só compartilha coisas que não têm nada a ver com a minha vida? Eu não quero saber se meu ex-chefe participou da festa de aniversário da afilhada dele, sabe? Eu dou muito mais valor aos relacionamentos reais.

  38. Eu sou uma pessoa que se “priva” do que quer ver. Desde que exclui o Orkut (Orkut who?) me firmei de que só vejo o que me faz bem. Do caso contrário, está fora da minha lista. É claro que aceito as diferenças, as críticas dos amigos e blablabla, mas tem certas coisas bobonas que não dá pra ficar perdendo tempo.
    Beijão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *