A força e os bônus da vida

 

Tem tempo que uma das frases que mais ouço é: “você é uma pessoa muito forte!“.  Ainda que não por mal, a maioria tem uma tendência equivocada a achar que, assim como nos jogos, passar por fases te torna uma pessoa mais forte, quase inatingível. Não há 100% de erro nisso. Não estamos aqui para generalizar. Mas, na real… será mesmo?

 

Passar por situações extremas não me fez mais forte. Ao contrário do que muitos pensam, eu ainda sou capaz de chorar pelo iogurte derramado, assim como há 10 anos atrás. Não fiquei menos egoísta, mais esperta, menos introvertida. Ainda tenho as mesmas manias (talvez até mais que antes). Às vezes, me recuso a aventuras novas da vida, pura preguiça. Tenho medo de tubarão. Como mais besteiras que deveria. Danço escondida no banho.

 

Não existe uma “força desconhecida” que te transforma num super power ranger capaz de lidar com todas as forças do mal. Você não virou um possante blindado da noite para o dia. Você continua você, com erros e acertos, mas com um acréscimo de “checkin” na área proibida. Uma espécie de violador das situações “deus-que-me-livre-disso“. A referência numa conversa de outrem.

 

“Mas olha, eu JAMAIS suportaria”. Sinto dizer, mas há possibilidades de:

a) pessoas que nunca se sentiram capazes, mas foram
b) pessoas que sempre se sentiram capazes e não foram
c) pessoas nunca se sentiram capazes e de fato, não foram

 

Minha força não está nas coisas ruins que passei, e sim nas boas. Já imaginou, uma vida em que as situações ruins levam vantagem no placar? Teríamos a obrigatoriedade de sermos mega felizes e fortes, então? Eu, nem de longe. Situações ruins desgastam, te levam a amnésia forçada. Não há nada de bom em situações que não são boas! Aliás… quem mesmo inventou isso???

 

O que compensa a vida é a esperança de dias bons. Um dia ali e aqui razoável, ok. Nada é perfeito.  Mas são pelos dias bons, pelos bônus que a vida nos dá, que vale a pena viver. E se a força para seguir adiante vir apenas do sofrimento, meu bem… eu quero ser a pessoa mais inexperiente e fraca do mundo. E continuar dançando no chuveiro, é claro.

 

strong-woman-vintage

seja fort… hã?

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24 pensamentos em “A força e os bônus da vida”