tô querendo, tô tentando, pago quando puder.

Tentar deixar o cabelo crescer, e ignorar tooodos os bad hair day's. e o mais difícil: as pontinhas que foram navalhadas e agora são meu pesadelo de auto-estima, minhas contribuintes anti-sociais!
ser menos tic-tic com as horas (coisa mais chata eu, movida a tudo cro-no-me-tra-do_ marido agradece, bate palma e até faz almoço gostoso),  ser menos, bem menos preguiçosa (pintei as unhas do pé, -1 pra preguiça, yeh!). Mas é uma preguiça assim, meio… visual, sabe?


Doar tudo que não serve, não presta ou não deveria estar aqui, e isso inclui aquela calça de modelagem duvidosa que nem por um decreto se encaixa em algum visual – mesmo os mais alternativos- e também aquela conta da época que minha net era discada (livrai-me de todo mal, ulalá!).

 

Pintar mais, falar sempre, torcer menos a boca.

Dormir.

Ah, essas listas funcionam. Funcionam?

 

Déficit de organização

Pra quem trabalha com crafts, sabe muito bem como é difícil organizar o espaço de maneira que tudo fique mais acessível e prático. Por mais que arrume, não dá pra guardar tudo, pois na maioria das vezes, é necessário a utilização de mais de um material para confecção de alguma peça. Aí a bagunça começa a espalhar, espalhar…e daqui a pouco começa aquele desespero a ponto de nem saber aonde colocou a tesoura!
Pensando nisso, tomei vergonha na cara tomei a decisão de organizar meu ateliê de verdade. Chega de caixas sem nome. Chega de rolos de fitas despencando em cima de mim. Chega de perder a caneta no cabelo! Pesquisei no Google alguns exemplos de craft rooms, para me inspirar e começar a pôr mãos à massa ( e nas tintas, nas fitas, nas miçangas…). Achei exemplos do tipo que dá vontade de sair correndo e arrumar  toda a bagunça, JÁ!

 
 

Não são inspiradores? Espero poder organizar tudo logo em breve, e mostrar pra vocês como ficou!

Prazeres

Guilty pleasures – Que pequenos prazeres vocês se permitem para animar um pouco a vida? Essa pauta é beeeeeeeeem fofa e vale de tudo! De coisas mulherzinhas e comidas gostosas até as coisas mais estranhas, que ninguém entende, mas que são uma delícia!

Prazer assumido

Hedonista assumidíssima, não poupo mesmo a oportunidade de fazer tudo que me faz bem. Desde lambuzar todos os dedos com chocolate – e depois, lâmbê-los, um a um –  até ouvir aquela música favorita beeem alto enquanto olho para a estrada. E tem coisa mais gostosa (e que faz um bem danado) do que chorar de rir, ou chorar pra valer mesmo, desabafar? Ou então, permitir-se apaixonar, quantas vezes possíveis?
Prazeres são bobos, eu sei. Mas são momentos bobos assim que sempre me permito vivenciar, só pra não levar tudo tão a sério. Join!

Pauta para Tudo de Blog

A Promoção para ganhar uma sapatilha Dijean Neo e um brinde surpresa Mulher Vitrola continua aqui no blog. Então, não perca tempo, mande sua frase, chame as amigas, e boa sorte 😉

das perguntinhas encurraladoras.

O Pedro fez 4 anos dia 10 deste mês. Nem tem tanto tempo assim e a enxurrada de perguntinhas da fase 4 (tam-tararã!) veio com vontade. Começou com uma perguntinha, digamos… típica.

– Mamãe, por que você não tem piu-piu?

Aí eu tento responder de uma maneira… tipicamente maternal?

– Oras, eu não simplesmente não vim com piu-piu!

Eu deveria saber aonde isso ia dar… eu poderia responder qualquer outra coisa… eu comprei livrinhos “Conversando de sexo com seu filho”, “Criança e sexualidade” então porque não respondi “meninos tem pênis, e meninas, vagina!”?

-Então… então tem que comprar outra mamãe. Você não veio com piu-piu!

Dica: SEMPRE tentem responder algo plausível para uma criança com menos de 5 anos. A pergunta seguinte vai depender muito da sua resposta!