Cabô mundo.

O mundo todo virou uma internet. Hoje eu acordei, e eu vi isso. Não, eu sei, isso tem tempo. Perdoem-me: minha ficha demora às vezes pra cair. Mas é assim. Virou e pronto. Não adianta discursar, fingir que não leu isso, tentar comer o último sonho da padaria. Agora você é mais um que sabe. Vai contar pra todo mundo, eu sei. Vai ligar o pc, mas vai achar velho até o fato de ter que digitar no teclado. Tecnologia, meu bem.

As línguas (não sei se são más, ou videntes), dizem que é tudo culpa de um tal de Google. Eu acho que é verdade, mesmo. Juro. Sabe aquela coisa de chip no corpo e tal? Então. Passado. Vai ser coisa muito mais mudérna. Tão mudérna que ninguém nem tem idéia ainda. Só sentimos aqui e ali, alguém nos seguindo, sabendo tudo que fazemos. E ainda por cima, nós permitimos!

Sábia é minha sobrinha, exincluída digital, que toca na tela do pc pensando que funciona como touch screen… essa sim, tá na onda !

ps: “tá na onda” também é old, viu como eu ainda não cheguei lá?
Obs.: só pra esclarecer, é claro que isso é um post irônico, inspirado numa conversa que tive ontem. Essa que vos fala é completamente fanática por tudo que há de novo, velho ou o que ainda vai surgir.

 Exemplo de família antenada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 pensamentos em “Cabô mundo.”