Cena Feminina

6 posts

A Cartilha Feminina

                    Woman's Guide 6

Desde sei lá das quantas, a revolução significativa no mundo feminino é: nós estamos ganhando cada vez mais espaço. Mulheres trabalhando fora, mulheres motoristas, juízas, “presidentas”.
Isso tudo são fatos óbvios, que não precisam de protestos (que bom né? sutiãs não são tão baratos assim), nem de textos, nem de provas. Saímos, estudamos, arrumamos nosso empregos e ponto.
E aí que vem um enxurrada de mulheres agora criando a cartilha da super mulher. Oras, não fique fora da cartilha. Deixe de ser boba. Mostre sua força, seu poder, faça a honra daquelas que lutaram por nós.



Item 1: Mulher, não use sutiã com bojo. Ou você quer ter peitos iguais à todo mundo? Sente em frente à loja da sua cidade, e se o dono vier perguntar algo, pergunte o por quê dele não vender sutiãs normais. Sutiãs com bojo são lindos, estão baratos, tem uma diversidade incrível e levantam sua auto-estima. Mas quem disse que você quer isso?


Item 2: Mulher, não “dê” para um só cara. Liberte a leoa faminta que há em você. Vá contra suas leis, suas vontades, e passe a dar para todos os caras que sair. Deixe sua falta de interesse e vontade de lado. Vai querer bancar a santa justo agora? Até a Sandy é Devassa, você também pode!


Item 3: Mulher que é mulher sente tesão pela amiga, conhecida. O sonho de uma mulher de verdade é ter uma experiência a três. E daí que você não sente um pingo de atrção por mulheres? O que conta é mostrar o quanto você é livre de preconceitos. E depois de tudo isso, se a neurótica que existe em você despertar, não hesite: procure o terapeuta mais próximo.

Item 4: Limpar a casa? Cuidar dos filhos? Cozinhar? Não seja babaca. Os homens e as empregadas estão aí pra isso. Uma mulher moderna sabe muito bem que, mesmo que você adore e não se importe de fazer tudo isso,  só mostra o quanto você é submissa. Está proibido gostar disso, ok?


É claro que este foi um post irônico. Só quis dizer que, não existe nenhuma fórmula mulherzinha. O importante é ser respeitada por seus gostos, prazeres e valores. Nenhuma mulher deve ser desrespeitada por fazer suas escolhas, por ser “ela mesmo”. Nenhuma mulher deve ser julgada por ser reservada ou mais liberal. Siga seus instintos, faça o que bem achar melhor, e o mais importante: seja feliz à sua maneira. Com ou sem bojo.

Homem Nu

Eu lembro que aos 12 anos de idade, meu auge de conhecimento sexual era baseado nas revistinhas do Ari Toledo que lia escondido da minha mãe. Eu sequer entendia um grama daquelas centenas de palavrões, mas sabia que eram sobre sexo.
Apesar de super liberal e aberta à perguntas e diálogos, decidi que não perguntaria certas coisa para minha mãe. Então comecei a comprar revistas Querida e Caricia. Essas revistas, voltadas ao público adolescente, continham assuntos variados, e entre eles, o que mais me interessava: dúvidas sobre sexo.


Até então, só tinha lido matérias sobre ficar ou não, primeiro beijo, camisinha…
Num belo dia de inverno, fui na banca comprar mais uma edição e corri para o quarto com minha edição novinha de Carícia. Assumidamente ansiosa para que chegasse logo minha seção favorita, me deparei com uma foto inesperada: a foto de um homem nu. Peladinho. Da Silva. E frontal, ainda por cima. Por essa eu não esperava.

Não era nada Hustler feelings, óbvio. Era na verdade um foto muito bonita. Mais parecia aquelas estátuas de Michelangelo, sabe? Não aparecia o rosto, mas dava para ver que era um homem de cabelos enrolados até o ombro. Havia uma sombra que cobria uma parte do corpo, e na outra parte era evidente todas as linhas que o formavam.


É claro que, como adolescente e desconhecida de muita coisa, imaginei que aquilo fosse a representação de todos os homens nus. Pelo menos dos que eu gostaria de imaginar, claro. E na semana seguinte, quando fui para escola e trombei com um paquerinha da época, da maneira mais ingênua do mundo, só consegui pensar: “te vi sem roupa na revista…”


                David-black-Michelangelo-Fl