Para a casa

2 posts

Afinal, onde é o nosso lar?

De todas as experiências que tive até aqui, eu nunca soube a sensação de morar sozinha. Quando criança, eu dividia o quarto com meu irmão mais velho. Na adolescência, meus pais eram separados e eu dividia o quarto de uma kitinet com minha mãe e minha sobrinha. Então, aquele quarto de adolescente, com roupas jogadas, com edredom de cetim rosa e almofadas de pelúcia nunca fizeram parte da minha vida. O que eu tinha eram duas portas de um guarda roupa compartilhado, e ali eu colocava todas as referências da casa que eu dia eu planejava ter: meus pôsteres de filmes, minhas bandas favoritas e as cores que eu gostaria que ela tivesse.
 
 

Depois de casada, me recusei muitas vezes mudar algo na casa simplesmente por morar de “favor” e um tempo depois, de aluguel, e achar que não valeria a pena. Mas afinal, o que é nossa casa? Onde é nosso lar? Depois de uma situação complicada que vivi, percebi que lar é todo lugar que nos sentimos seguros e felizes. E comecei a olhar cada canto como um lugar especial, e tratá-lo de forma em que eu não me deparasse com uma parede vazia, e sim um pedaço do que admiro, das minhas referências, do que me inspira e me motiva.
 
 

Hoje em dia, decorar o lar não é só uma tarefa prazerosa, mas também um desafio – por ter que adaptar ao estilo de quem mora de aluguel – e um compromisso que assumi de levar uma vida com mais cores. Qual é a cor que você gostaria que sua vida tivesse?
 
 

 
 

 
 

 
 

Minha escolha e o cantinho de amores da casa. Até o nome desse esmalte é lindo, né?

 
 

Este post faz parte da Blogagem coletiva “Esmalte e Decoração”, do blog da Fernanda Reali.

Déficit de organização

Pra quem trabalha com crafts, sabe muito bem como é difícil organizar o espaço de maneira que tudo fique mais acessível e prático. Por mais que arrume, não dá pra guardar tudo, pois na maioria das vezes, é necessário a utilização de mais de um material para confecção de alguma peça. Aí a bagunça começa a espalhar, espalhar…e daqui a pouco começa aquele desespero a ponto de nem saber aonde colocou a tesoura!
Pensando nisso, tomei vergonha na cara tomei a decisão de organizar meu ateliê de verdade. Chega de caixas sem nome. Chega de rolos de fitas despencando em cima de mim. Chega de perder a caneta no cabelo! Pesquisei no Google alguns exemplos de craft rooms, para me inspirar e começar a pôr mãos à massa ( e nas tintas, nas fitas, nas miçangas…). Achei exemplos do tipo que dá vontade de sair correndo e arrumar  toda a bagunça, JÁ!

 
 

Não são inspiradores? Espero poder organizar tudo logo em breve, e mostrar pra vocês como ficou!