Senhorita Banalization



Outro dia me surpreendi com um comentário sobre minha decisão de deletar meu Orkut. “Banalizou, né?”. Banalizou é uma palavra que, eu não sei quem, mas alguém banalizou.Eu deletei simplesmente por motivo nenhum. Ou poderia ter deletado porque tive algum tipo de síndrome que não me permitia ver mais nada piscante, ou porque o moço da padaria me prometeu dois pães com goiabada e queijo se eu o deletasse.

A partir daí, eu vejo que muita coisa mudou e foi carinhosamente apelidada de ‘banal”. Não ser a favor da masturbação feminina, ser contra a liberação da maconha, trair, não gostar de certos programas que passam na TV, não dar atenção para filmes que todo mundo gosta, ser contra a nova cena musical. Tudo isso foi banalizado. Não entre nesse barco. Não adquira essas opiniões. Não seja do contra. Não siga essa moda.O simples “eu te amo” já não pode ser interpretado de uma maneira fácil de alguém que não encontra as palavras certas de dizer que alguém é importante. Não diga “eu te amo”. Não procure vias fáceis de se expressar. Não se sinta bem. Não banalize.

Acho que tudo é uma metáfora sexual: ou você pega sua concha e SAI, ou fica dentro, curte o passeio e goza dos momentos. Eu recomendo você ser rápido. Antes que as escolhas fiquem banais também.

                         porranehuma

27 comentários em “Senhorita Banalization”

  1. Oi querida.
    Primeiro: adorei teu blog.
    Depois, sobre o texto – acho que devemos ter maturidade suficiente pra deliberar sobre o que exatamente queremos, e se, de alguma forma, somos dotados de razão é certamente pra usar a cabeça.

    “Ah, eu não ligo pro que banaliza, faço SEMPRE o que eu sinto” é a típica frase de quem se deixa levar pela mais leviana das tendências. E isso porque o ‘sentir-se bem’, hoje em dia, só é (aparentemente) completo se existir a tal aceitação social.

    Sendo assim, qualquer escolha deve estar sujeita a uma certa reflexão, já que no fim das contas, têm coisas que de fato não valem a pena se a moeda de troca for… aceitação social.

    As escolhas podem ser boas ou ruins. Terem sido banalizadas pode até ser um bom critério de desempate (tem quem goste do banal, tem quem fuja dele), mas certamente não influi diretamente no seu caráter bom ou ruim.

  2. As pessoas falam eu te amo da boca pra fora pq é muito mais cômodo do que amar de verdade e nutrir um sentimento. Falar que o BBB é fútil e coisa de gente sem conteúdo é mais fácil do que assistir e admitir que o programa não lhe atrai.

    E dai todo mundo começa a se apegar as pequenas desculpas, as pequenas justificativas.

  3. Parece que ninguém mais pode ter opinião se não estiver politicamente correto. Meus amigos me chamam de “do contra” (imagine os inimigos kkkkkk), mas prefiro ser contra ou favor por minha própria conta, sem estar na moda se eu não quiser estar.

    bjs

  4. Eie! Adorei seu texto. As pessoas tem que fazer o que quiserem, sem se preocupar se vai banalizar ou não. Se você excluiu seu orkut, ótimo, ninguem tem o direito de te reprimir por isso ou de ficar imaginando motivos absurdos por isso ter acontecido. Cada pessoa tem um ponto de vista e um jeito de viver, não somos obrigados a seguir o que todos fazem

    Beijos

  5. Mas eu ainda sou do contra… rs
    E não é porque está na moda, eu sempre fui. Sempre recebi comentários “lindos” no blog por falar o que penso sobre vários assuntos. Hoje evito o máximo. Ninguém quer saber o que realmente acho… haha

  6. Também curti muito seu texto! Até hoje algumas pessoas me perguntam o porquê de ter excluido meu orkut, e eu simplesmente respondo: “é meu, não posso excluir sem motivos?”.
    Enfim, minha opinião é a mesma do seu texto! Ah, e eu simplesmente amei a “vitrolinha”, a caveirinha no cabelo dela é espetacular, rs. Beijocas!

  7. Olá Key!
    Primeiramente, muito obrigada pelo elogio, seu blog é super fofo e interessante de se ler!
    Acho que se a pessoa tem opinião própria, não vai seguir modinhas, coisas banalizadas e afins… o fato de ser você mesmo já o torna uma pessoa capaz de diferenciar as coisas ao redor.
    Gostei do post, você escreve super bem!
    Beijos e sucesso :*

  8. Acho que, enquanto você está dentro das suas opiniões e o que você acredita ou deixa de acreditar, não pode se chamar de banalizado. Só que hoje tem tanta gente que acha que ser do contra é ter “charme”, é ser “popular” dentre outras que não dá pra saber mais quem tem opinião quanto a alguma coisa e quem acha aquilo só porque se encaixa nos “novos padrões” do que é ser “cool”. Um saco, na minha opinião. Mas fazer o quê?

  9. Iu Mulher Vitrola,

    Curti muito o texto.
    Já fui viciada em orkut, mas hoje em dia nem entro mais, mesmo assim não consigo excluir.

    Agora me enchem pra fazer o facebook, na verdade, já fiz, mas nunca entrei e acredito que bem entrarei.

    Sei lá, o orkut deu no saco mesmo. odeio aquele monte de recados prontos. Coisa que mais me irrita, receber o mesmo recado que milll pessoal receberam… mensagens de bom dia, de feliz isso e aquilo…
    tomanocú! se quer me dar bom dia via orkut é pq sou importante e não apenas mais uma.

    heheheh
    era isso.
    Beijos

  10. Olá, key! Primeiramente, obrigada por sua visita ^^

    Well, com certeza muita coisa está sendo banalizada. Os valores, princípios, porém a exclusão de um orkut não é seguir moda, oras! Se alguém exclui o orkut é pq tem motivo, ninguem exclui por moda, que fail!

    Beijo, boa semana!

  11. eu vejo que o orkut ficou realmente comum… mas era uma maneira ótima d mostrar pra parentalha como anda as crianças sem precisar comparecer. hahahhhha. ainda ñ deletei minha conta do orkut. Ainda.
    E vc tem razão, o que fazia diferença ontem, hj já não tem mais tta importância. Ser do contra agora ficou comum (oi?), logo, ser do contra não é mais tão do contra assim…

  12. O que eu acho pior é vc desistir de uma coisa (Orkut, um filme, banda, até novela) só pq estão dizendo q é banal, pq é chique ficar de fora, q o novo q é o interessante, etc. Tá, o pessoal acha tal banal, mas e vc? Muitas vezes o pessoal nem se pergunta isso, apenas adota idéias de outros talvez para se sentirem inseridos numa tal “classe culta”, enfim.. Bobagens. =)

  13. Menina, adorei o blog! Já vou virar seguidora.
    E eu tbm tenho a Síndrome das blogueiras das antigas, hahaha. Tenho uns blogs antigos guardados só pra lembrar quem eu era, rs.
    E eu ainda tenho Orkut pelo mesmo motivo que vc deletou o seu: pq eu quero, oras.
    =)
    Bjos!

  14. Concordo plenamente!! O pior é que de tantas banalizações, a gente acaba ficando perdido. Se resolve acatar a banalização e ser igual a todo mundo, dizendo que não gosta de certas coisas, fica achando que é cool, mas acaba sendo normal. e se fala que gosta de tudo que não gosta, acaba se achando excluído. Mas concordo com vc, devemos olhar mais para nós mesmos ao invés de procurar encaixar em qualquer lugar comum!

    Só uma obs nada a ver: sou apaixonada por delineador e AMEI o da foto, ahah!

    Beijinhos!!

    http://mmansur.blogspot.com/

  15. Ai, adorei o texto!

    Eu só mantenho o orkut por causa de alguns contatos, que sao queridos, mas nao tao queridos ao ponto de eu ter telefones e ligar toda a semana pra saber como a pessoa tá.. sabe, aqueles contatos que sao pessoas que dá aquela saudadezinha de vez em quando?!

    Entao.. só por isso…

    Mas irrita pra cacete aquele povo que manda aqueles recados com gifs e que tocam musica automaticamente.

    ODIO MORTAL!!

    Um beijao, Mulher Vitrola!
    Mari

  16. Até para desistir é preciso de muita coragem. Não sei se quem muda de direção ou torna para o ponto de partida para análises pode ser chamado de desistente, ou mesmo vira-folha, autenticidade é um atributo raro, mas funciona. Quem disse que estar na moda é importante?! Belo texto Vitrola

  17. Deixei faz um tempo também, não conseguia mais usar, ter saco pra aquilo. Mesmo amigos me enchendo pra fazer de novo, nem dou ouvidos. Prefiro ficar distante daquele pessoal que só sabe “curiar”. bjoks!!

  18. Nooossa, Mulher Vitrola no meu blog, quanta honra!!

    Eu sou blogueira velha mas nova. Ainda tô pegando essas manhas de deixar meu blog ser amigos dos outros blogs. E como eu falei, gosto do teu jeito fluente e fácil de ler.

    Quanto ao post eu penso que cada dia mais o “novo cool” vai ficando mais e mais banal tão rápido. E é algo que não dá pra deter. É a vida que ficou mais rápido mesmo. Ou não?

    Eu não me preocupo. Eu gosto do que é banal ou não é, só por que gosto e ponto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *