Total Recall (que)

Filmes deveriam ser sempre assim: facilmente encaixados em exemplos verdadeiros. Ontem, assisti com o marido Total Recall (aka, "O Vingador do Futuro"), e o filme é para viajar de verdade (na maionese?).

 

A começar pela história, Arnold Swazgesjeuoais é Douglas Quaid, um operário super musculoso que resolve fazer um implante de memória na Rekall Inc.. O serviço é o seguinte: você escolhe memórias que gostaria de ter (viagens, atividades, profissão, mulheres, etc) e elas farão parte da sua vida como se realmente tivessem acontecido. Você compra sensações que nunca teve, e dependendo da sua situação, nunca teria. Surreal, não?

 

Total-Recall

                                            Clássica cena. Os efeitos foram premiados, viu?


Douglas Quaid é como o rapaz que compra o carro do ano em mil prestações para fazer bonito, sabe? Ou tipo gente que acha que é famosa pela quantidade de seguidores do twitter. Ou que nem o chocolate Sensação, que a única sensação que dá na verdade, é de decepção! Douglas foi até a Rekall Inc. porque idealizava uma vida que não tinha, um baita rekallcado! Mas alguém aí duvida  que se, existisse a possibilidade, muitos estariam fazendo fila na Rekall Inc.?

 

A quem interessar, o filme terá um remake, com Collin Farrel (me gusta) no papel. Mas recomendo muito assistir o original, apesar de ter a excelente atuação (cof) do Arnold. E aí, você toparia uma visita à Rekall Inc.?
 

*Essa análise é só uma brincadeira… a história tem um rumo totalmente diferente, mas não vou dar spoiler pra quem ainda não assistiu:)

9 comentários em “Total Recall (que)”

  1. curiosidade define! PRECISO assistir esse filme
    esse lance de máquinas futuristas suprindo as “necessidades” alheias sempre me interessam… metáforas quase sempre muito interessantes 🙂

  2. Nooooooossaaaaaaa, super clássico este filme….lembro que criança e assistia na sessão de tarde na televisão…muito massa…lembrei de um outro filme que este Arnold Swazushushauhuh fez também que é um de Clonagem e tals. Rs

    Adorei o post, só vejo o povo falar de filme que tem em cinema…amei este post.

    Beijão,

    Gisele (Vahallam)

  3. Puxa que curioso, imaginei mesmo ago super surreal e um tanto macabro, ter a vida exatamente como deseja, sem objetivos…estranho. Agora quero assistir, curti a dica. Aceita troca de links Renata?

  4. Esse filme tá na minha lista de “filmes que preciso assistir mas ainda não baixei”. Po, os efeitos são massa! Pra pessoa que cresceu assistindo Chaves & Chapolin, isso aí é ultra high tech! Me atiçou a vontade, mas ainda falta vencer a fadiga…

  5. Não assisti ainda, mas semana passada ouvi o nerdcast do Arnold Schwasteinhaeger e fiquei com vontade de ver…

    Hoje em dia faz sentido falar em recriar o passado? Faz sentido numa época que suas redes sociais vão te desmentir? rsrsrsrs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *